Por Pe. Gottardo,SJ

 

“Sim, nada mais sou do que um viajante, um peregrino sobre a terra! E você é alguma coisa mais do que isso?” (Johann Goethe).

 

Todos sabemos, que através dos modernos e sofisticados meios de transporte viajar tornou-se muito mais rápido e menos cansativo, mas há quem ainda prefira o método antigo: pôr o pé na estrada e caminhar longos percursos.

Não há dúvidas que, quem se dispõe a peregrinar um dia inteiro contando com a inclemência do tempo, o faz animado pela fé e movidos pela perspectiva que Paulo escreveu de modo magistral: “…não miramos as coisas que se veem, mas sim as que não se veem. Pois as coisas que se veem são temporais e as que não se veem são eternas” (cf. 1Cor 4,18).

No último sábado, 9 de junho de 2018, não foi diferente! Às 5h da manhã, o termômetro acusava 3 graus. Uma geladeira! No entanto, mais de 300 peregrinos estavam a postos para iniciar a caminhada com inopinada disposição e participar, com alegria, da 8ᵃ Peregrinação Caminhos de Santa Paulina. O peteleco inicial aconteceu na igreja Matriz de São Virgílio, onde houve a benção de envio e a unção para encarar os cerca de 30km pelas estradas de Nova Trento.

Para enfrentar a caminhada sem percalços, após o momento de oração no interior da igreja, todos participaram do animado e imprescindível aquecimentocomandado por professores de Educação Física. O evento conta com preparação remota e com uma logística impecável (nessa última edição, por exemplo, além dos 300 peregrinos, haviam 60 voluntários). Parabéns às Irmãs e a todos os oganizadores!

É inegável que vida de Jesus foi um contínuo peregrinar pelas estradas precárias e empoeiradas deste mundo. Em última análise, é por Ele e para Ele que devemos caminhar pressurosos até o dia de nos encontrarmos todos na casa do Pai. Até lá… “Senhor, ensine-nos a contemplá-lo na beleza da criação e despertea nossa gratidão e o nosso sentido de responsabilidade”.

 

Comente