Por Pe. Gottardo,SJ

Nosso Senhor, ao peregrinar por este mundo, foi claro: “Pedi ao Senhor da messe que envie operários para a sua messe” (cf. Mt 9,38). Urgente é a necessidade do anúncio e imensos são os desafios! Os trabalhadores da messe, além de poucos, muitos se encontram envelhecidos e cansados. Por isso, a Igreja, atenta à indicação do Profeta de Nazaré, instituiu a Ação Evangelizadora: Cada comunidade uma nova vocação. Trata-se de uma feliz iniciativa do Regional Sul 2 da CNBB. Indubitavelmente, as vocações existem em todas as comunidades, pois Deus não abandona o seu povo. O que falta, muitas vezes é o cuidado com as sementes semeadas pelo Senhor. Há um sentido desleixo/distração por parte de muitos cristãos, não só pelo testemunho de fé claudicante, pela anemia espiritual e pela falta de entusiasmo em viver a própria vocação cristã. É preciso uma sacudida. “Jesus nos disse que o primeiro método para obter vocações é a oração, e nem todos estão convencidos disso” (Papa Francisco). Neste sentido a “Barquinha” de Pedro acompanhada por um ícone que retrata o “discípulo amado” repousando a cabeça no peito de Jesus (símbolos da Ação Evangelizadora) segue seu caminho pelas estradas das Foranias e das Paróquias da Arquidiocese de Florianópolis. Hoje, 1 de novembro de 2018, dia que a Igreja celebra a Festa de Todos os Santos, os referidos símbolos saíram da igreja Matriz de São Virgílio e foram transportados até o Santuário Santa Paulina. Amanhã, pela manhã, seguem para a Forania de Brusque. Que venham os frutos!

Comente