Por Rosimara Bernhardt

“O Pai a coroa, participando-lhe o seu poder, o Filho a sabedoria, o Espírito Santo o amor. As três Pessoas divinas, colocando-lhe o trono à direita de Jesus, a declaram Rainha universal do céu e da terra” (Santo Afonso Maria de Ligório).

No último sábado (26/5), encerrando o mês de maio, na Igreja matriz, na celebração da Solenidade da Santíssima Trindade foi realizada uma singela homenagem à Mãe de Jesus. Celebrar o mês de Maria é devotar o nosso amor a Mãe de Deus e a nossa Mãe. Coroar Nossa Senhora é demonstrar que a reconhecemos como “Rainha”, mesmo na simplicidade de sua figura.

Aproveitando o contexto do Ano Nacional do Laicato proposto pela CNBB, a Pastoral da Catequese convidou um representante de cada Pastoral, como reconhecimento do trabalho prestado à comunidade eclesial por tantos valorosos leigos(as), sem o qual a igreja não caminha, para participar da coroação de Nossa Senhora.

A celebração foi presidida pelo nosso pároco Pe. Roberto Jerônimo Gottardo, que em sua reflexão sobre a Santíssima Trindade, falou que Deus é família e fonte de comunhão; em Deus há relação, amizade, encontro, comunhão, amor, como afirma o Papa Bento XVI: “Em tudo o que existe, o nome da Santíssima Trindade está impresso, porque tudo provém do amor, é voltado ao amor, e se move impelido pelo amor”.

Falou-nos Gottardo que viver é relacionar-se, e para que a relação seja feliz e verdadeira Deus deve ser a base dessa relação; tudo é relação: a afetividade, a sexualidade, o falar, o jogo, a amizade, a oração. A relacionalidade, portanto, caracteriza todas as coisas. Eu sou resultado e a consequência das relações que estabeleço com Deus e com os outros. A única coisa que a Trindade faz é amar; por isso, “só o amor é digno de fé”. O Papa Francisco lembra que “a maior prova de que somos feitos à imagem da Trindade é que somente o amor nos faz felizes, pois vivemos para amar e ser amados”.

Sem dúvida uma noite abençoada de surpresa, beleza e emoção para todos os presentes. Evviva la Madonna!

 

Comente