A comunidade de Santo Antônio (Baixo Salto – NT) celebrou a festa do seu padroeiro, Santo Antônio, no último domingo, 9 de junho de 2019, com grande alegria e excelente participação de fiéis. Tudo foi preparado com esmero e cuidado, tanto a dimensão religiosa (missa) como o almoço comunitário. Efetivamente, quando a festa proporciona a experiência de encontro na fé, de alegria fraternal e muita conversa, sai-se dela mais forte para se enfrentar as exigências da vida.

A celebração da festa de Santo Antônio coincidiu com a solenidade de Pentecostes. “E todos repletos do Espírito Santo começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito lhes concedia que se exprimissem” (cf. At 2,4). De Pentecostes aprendemos que o Espírito é o “novo” modo de Deus viver em nós. Ser “espiritual” não significa rezar muito e/ou multiplicar práticas religiosas, frequentar a igreja, fazer peregrinações, etc. Ser espiritual significa fazer emergir o divino que vive e palpita dentro de nós, mas muitas vezes está adormecido (anestesiado?). Viver segundo o Espírito é um modo de viver e de encarar a vida.

Santo Antônio, ao refletir sobre o dom de Pentecostes, escreveu: “Quem está cheio do Espírito Santo fala várias línguas. As várias línguas são os vários testemunhos de Cristo, tais como a humildade, a pobreza, a paciência, o amor e a obediência”. Em seguida, assevera: “A linguagem é viva, quando falam as obras. Cessem, por favor, as palavras; falem as obras”. O problema é que estamos cheios de palavras, mas vazios de obras, e, por isso, somos amaldiçoados pelo Senhor. Ele mesmo amaldiçoou a figueira em que não encontrou fruto, mas somente folhas (cf. Mc 11,12-14). Para além das tagarelices piegas e “espirituais”, o Espírito Santo quer “fazer novas todas as coisas” (cf. Ap 21,5). Portanto, que venham os frutos!

Nossa gratidão e reconhecimento às lideranças da comunidade que se empenharam deveras no planejamento e na execução da festa em honra ao querido e santo padroeiro, Santo Antônio. Fizeram bonito. Parabéns!

 

 

Comente