Por Rosimara Bernhardt

Na última segunda-feira (8) os HOMENS DO TERÇO se reuniram para, juntos, comemorar os quatro anos deste Movimento em nossa paróquia. O início foi tímido, mas aos poucos foi se robustecendo até chegar, na máxima euforia, a 324 participantes. Um ano depois teve início o terço das mulheres.

Pe. Roberto Jerônimo Gottardo, SJ, foi quem teve a iniciativa de implantar o Movimento do Terço dos Homens na Paróquia São Virgílio, e também o responsável por mantê-lo vivo com os homens que perseveraram. Iniciou o recitação do Terço lembrando de R. Alves: “É preciso preparar a alma com antecedência para o evento. Comemorar quer dizer ‘trazer de novo à memória’. Para quê? Para que se cumpra o ditado popular que diz ‘recordar é viver’. Dentre todos os seres vivos os seres humanos são os únicos que se alimentam do passado. Eles comem aquilo que já deixou de existir”. É sempre bom e salutar revisitar as origens…

Padre Roberto lembrou daqueles homens que participavam do Terço e já faleceram. Lembrou também e parabenizou o senhor Sebastião Sartori, o único homem que nestes quatro anos não faltou a nenhum Terço, sempre esbanjando muita alegria e energia. Lembrou do querido senhor Didi Feller que se fez presente nesta comemoração, embora por motivos de saúde não possa estar tão presente como gostaria. Pe. Gottardo fez também um elogio carinhoso à catequista Jucélia que novamente alegrou a todos com a presença terna e meiga dos catequisando para o momento se tornar ainda mais especial.

E o terço seguiu cheio de fé e devoção, animado pelos brilhantes animadores, Robson e Adenir que cantaram a belíssima canção, emocionando os presentes, em cada mistério que dizia: “Nossa Senhora de Aparecida, Nossa Senhora de devoção, Nossa Senhora das águas surgida, aponta um caminho de um Brasil mais irmão”. Muito oportuno para os nossos dias tão pulverizados pelas polarizações infantis e pelo ódio cego.

E a comemoração desses quatro anos foi sem dúvida cheia de alegria, os homens fizeram questão de comemorar esses quatro anos juntamente com esposas e filhos/as. Após a oração mariana, na igreja todos foram convidados a se dirigirem ao Salão Paroquial para a confraternização. Tudo muito bonito e singelo. Uma bela homenagem a querida Mãe de Jesus e nossa Mãe.

Sem dúvida, uma noite memorável. Parabéns aos homens que perseveraram na oração do Terço, e como dizia o papa João XXIII: “O pior terço é aquele que não se reza”. Sejamos, pois, incentivadores para que mais homens, mulheres e crianças voltem a recitar esta oração, atendendo o pedido do Papa São João Paulo II: “Que as famílias voltem a rezar o terço em família como antigamente”.

Deixo o meu agradecimento mais que especial ao grande animador deste Movimento em nossa paróquia, o nosso querido pároco, Pe. Roberto. Se o Terço dos Homens e das Mulheres está resistindo com louvável vitalidade até hoje, sabemos que devemos em grande parte a sua infatigável atuação e brilhante ação evangelizadora. Muito obrigada e que nossa Senhora derrame abundantes graças em sua vida e nas nossas famílias!

 

 

Comente