Pe. Roberto Gottardo, SJ

Nos dias 14-15 de maio de 2019, aconteceu na Casa de Retiros de Vila Fátima (Morro das Pedras – Florianópolis – SC) importante encontro dos Jesuítas que atuam em Paróquias, Santuários, Igrejas e Capelanias, situados na região SUL do Brasil. O lugar é lindíssimo e encantador, com paisagens de tirar o fôlego.

É oportuno destacar a presença do Pe. Provincial, Pe. João Renato Eidt,SJ, do Pe. José Laércio de Lima, SJ (Secretário para Paróquias…) e do Pe. Jonas Caprini,SJ (Secretário para Juventude e Vocações) que estiveram conosco em tempo integral, participando ativamente da reunião. E como foram valiosas as intervenções deles nos diversos assuntos tratados!

A eclesiologia do Papa Francisco, o Sínodo sobre a Amazônia e as Quatro Preferências Apostólicas da Companhia de Jesus (2019-2029) deram o norte da reflexão e das animadas conversas. Num clima de comunhão e de participação, todos tiveram espaço para partilhar as alegrias, as consolações e as esperanças, como também as inquietações, perplexidades e preocupações da missão que desenvolvem junto ao povo de Deus nas respectivas obras apostólicas.

Apenas um registro de um aspecto que, de alguma forma, perpassou a dinâmica do encontro. Não obstante os enormes desafios inerentes à ação evangelizadora, tornou-se patente no encontro que a problemática da polarização política tem “entorpecido” deveras não só a consciência de tanta gente do nosso imenso e querido Brasil, mas tem envenenado também as relações comunitárias no interior da Igreja. Tem-se a impressão que o Inimigo está fazendo a festa. A cegueira e a arrognância (ignorância + arrogância) campeiam em alguns ambientes. “Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Mas, em relação ao universo, ainda não tenho certeza absoluta” (Albert Einstein).

Uma conhecida canção diz: “comungar é tornar-se um perigo, viemos pra incomodar”. São Paulo é assertivo: “Não vos conformeis com os esquemas deste mundo” (cf. Rom 12,1-2). Evangelho não é pasmaceira! O evangelista João não poderia ser mais explícito: “As minhas ovelhas escutam a minha voz, eu as conheço e elas me seguem” (cf. 10,27). Porém, em muitas situações, ao invés de vermos “ovelhas” acolhedoras, entusiastas e fiéis ao evangelho de Jesus vemos cristãos (cabritos!) protagonizando os deploráveis espetáculos da divisão, da mentira e da cegueira ideológica. Algo escandaloso e repugnante.

O próprio anúncio do evangelho, em alguns ambientes eclesiais, é crispado por causa do fanatismo e da intolerância. Os rótulos são vomitados com incrível leviandade e os preconceitos vicejam. Ao invés do diálogo, os insultos se multiplicam. A mentalidade imediatista e burra se agiganta. Que vergonha! No entanto, à luz dos ensinamentos/gestos do Papa Francisco e da força do evangelho, é hora de exercitar o profetismo e a denúncia de tudo aquilo que conspira contra o evangelho. A verdade dói. Mas ai de quem se omitir. Pior: ai de quem adulterar o evangelho para justificar aberrações! Ai dos mornos!

O encontro foi muito proveitoso e estimulante. Que venham os frutos! O próximo foi agendado para os dias 18-20 de maio de 2020 na Vila Fátima (Morro das Pedras). Tudo para a maior glória de Deus.

Comente