Mauro A. Costa

Ao menos três retiros são oferecidos aos diáconos e suas esposas, inclusive viúvos (as), em nossa Arquidiocese. O último deste ano foi realizado em Nova Trento, no CEIC, nos dias 19, 20 e 21 de outubro. O pregador foi o Pe. Élcio Alberton, capelão no hospital Marieta Konder Bornhausen – Itajaí (SC). Pelo menos sessenta pessoas participaram desse evento que visa revigorar e animar o chamado de Deus para o serviço na Igreja. Além disso, trata-se também de um mo mento de oração em casal para reforçar a fé frente aos desafios que enfrentam em suas comunidades paroquiais.

O Pe. Élcio orientou o retiro a partir da exortação apostólica do Papa Francisco sobre a santidade no mundo atual: Gaudete et exultate. Usando trechos desse documento, o pregador desenvolvia a meditação realizando comparações do ministério clerical, tanto sacerdotal como diaconal, e provocava os retirantes à reflexão, à oração e, sobretudo, à partilha em casal. O dia se completava com a Celebração Eucarística, onde todos podiam se sentir agraciados pelo Cristo que recebiam.

O pregador recordou a todos que o ensinamento do Papa Francisco anima a todos para uma santidade no cotidiano da vida de cada um. “Para ser santo, não é necessário ser bispo, sacerdote, religiosa ou religioso”, ensina Francisco. E chama a atenção ao dizer que “muitas vezes somos tentados a pensar que a santidade esteja reservada apenas àqueles que têm possibilidade de se afastar das ocupações comuns, para dedicar muito tempo à oração. Não é assim”. Um equívoco que muitos cometem.

Na verdade, “todos somos chamados a ser santos, vivendo com amor e oferecendo o próprio testemunho nas ocupações de cada dia, onde cada um se encontra”, traz à meditação mais um trecho do documento o Pe. Élcio. Mais à frente completa: “és uma consagrada ou um consagrado? Sê santo, vivendo com alegria a tua doação. Estás casado? Sê santo, amando e cuidando do teu marido ou da tua esposa, como Cristo fez com a Igreja. És um trabalhador? Sê santo, cumprindo com honestidade e competência o teu trabalho ao serviço dos irmãos. És progenitor, avó ou avô? Sê santo, ensinando com paciência as crianças a seguirem Jesus. Estás investido em autoridade? Sê santo, lutando pelo bem comum e renunciando aos teus interesses pessoais”. Enfim, a santidade é oferecida a todos e todos a podem alcançar, basta levar a sua vida do dia a dia na presença constante de Deus, sem pensar em “salvar o mundo”. Nos pequenos atos de nossa vida vamos realizando a santidade.

O retiro foi finalizado com a Celebração Eucarística, momento em que todos puderam renovar o compromisso matrimonial. Afinal, o diácono vive dois sacramentos. Um momento emocionante para todos, mesmo os (as) viúvos (as). Deus seja louvado pelo chamado à santidade por meio do serviço, tanto no matrimônio como na diaconia.

 

Comente