Seminarista Bruno Costa

“Com efeito, muitos são chamados, mas poucos escolhidos” (cf. Mt 22,14). Verdade: muitos são chamados, mas quase ninguém tem tempo… quase ninguém ouve a voz de Deus e, por isso, se deixa enganar pela vozerio do mundo. Com essa consciência foram lembrados os três anos do Terço do Homens na comunidade de São José (Claraíba) no último sábado, 25 de agosto.

O evento iniciou às 18h30min com a recitação do Terço conduzido pelo Pe. Roberto Gottardo, SJ. Que frisou, à luz da conhecida canção do Pe. Zezinho “Se ouvires a voz do vento…”, as atrações do mundo se multiplicam e o vozerio dos ídolos sufoca cada vez mais a voz de Deus. As consequências são bem conhecidas: quase ninguém mais tem tempo para pôr-se em oração e servir a comunidade; sem mencionar ainda a intolerância, o medo das mudanças, as vaidades e a indiferença. Os cristãos devem estar atentos às inúmeras armadilhas do Inimigo cuja especialidade é espalhar a cizânia da divisão e da discórdia no interior da Igreja.

Após a oração do terço, iniciou-se as comemorações festivas, com o jantar cuja preparação contou com a ajuda de membros das comunidades de Santa Luzia e de Guadalupe, estes demonstraram em suas ações o sentido da gratuidade e da alegria em servir à Igreja. Desta forma, depois de degustar o delicioso churrasco foi aberta a pista de dança do baile animado pelo Grupo Musical Legião Gaúcha. Por fim, foi servido um café acompanhado de aprazíveis cucas.

A comunidade se alegrou deveras pelo êxito do evento que, em última análise, buscou chamar a atenção da importância da oração na vida da família. Durante o Terço foi lembrada a maravilhosa frase de Ghandi: “Orar não é pedir. Orar é o oxigênio da alma. Como o corpo que se lava não fica sujo, sem oração se torna impuro”. A comunidade de São José agradece imensamente às pessoas que participaram e colaboraram para realização desse evento.

São José, rogai por nós.

 

Comente