Por Pe. Gottardo,SJ

No último domingo (29), na casa da Mãe do Bom Socorro, na missa das 10h, os avós Simon Budkevicz e Terezinha Cruchinski celebraram 66 anos de casamento, e Catarina Voltolini Tommasi, 90 anos de vida, na presença dos respetivos familiares e amigos. “Feliz de quem atravessa a vida inteira tendo mil razões para viver” (Dom Hélder Câmara) e para celebrar.

A Igreja evoca liturgicamente a memória São Joaquim e Sant’Ana, os avós de Jesus, sempre no dia 26 de julho. São ícones e referências de pessoas que viveram na fé e na confiança em Deus. O Papa Francisco a referir-se a eles, disse: “Foram os responsáveis por educar no caminho da fé sua filha Maria, alimentando nela o amor para com o Criador e preparando-a para sua missão”.

É verdade inegável que os idosos acumulam experiência e sabedoria que deveria ser com acolhida com alegria e reverência pelas novas gerações. Entretanto, cabe a pergunta: Será que as palavras e o testemunho dos idosos ainda encontra acolhida nas novas gerações, quase toda ela imersa no mundo da tecnologia e do “descartável”?

Os três: Simon, Teresinha e Catarina são pessoas de fé viva e comprovada. Criaram os filhos alicerçados nos valores do Evangelho e são sabedores que a vida sem Deus, é vazia e insossa. Uma vida sem Deus não é digna de ser vivida.

Diante da multidão de famintos, como “ovelhas sem pastor”, diz-nos o evangelho que Jesus “tomou os pães e rendeu graças” e depois saciou a todos sem fazer qualquer investigação sobre a vida pregressa das pessoas. Assim também, nós “tomamos” a vida dos três irmãos e elevamos nossas preces ao Deus do Pão, para agradecer o presente da Vida, reconhecendo que o pão mais saboroso é aquele que é compartilhado com os irmãos.

 

Comente