Por Pe. Gottardo,SJ

Que boa/excelente ideia da catequista Lucélia de Souza Vicentini! É a primeira vez que ela aceitou o desafio de ser catequista. Está amando fazê-lo! Um dos membros do grupo de catequisandos é seu filho, Carlos Eduardo Vicentini. Deu-se conta de que a turminha de crianças que acompanha sequer sabe as orações básicas de uma família cristã. Deu-se conta também que ela está “pecando” neste item, ou seja, a negligência está acontecendo em sua própria casa/família. Daí brotou o desejo de ensinar as crianças a rezar as orações transmitidas pelos nossos avós (tradição) e já consagradas pelo tempo: o Pai Nosso, a Ave Maria, a Salve Rainha, o Anjo da Guarda, etc. Orações que, de alguma forma, traduzem a essência dos ensinamentos do evangelho de Jesus. E para animá-las a aprenderem a rezar o Terço, trouxe-as para participar do Terço dos Homens. Uma beleza! São orações que, de alguma forma, traduzem a essência dos ensinamentos do evangelho de Jesus. Todos os homens presentes ficaram encantados tanto pela excelente ideia da catequista como pela disposição daquelas crianças em aprender a rezar o Terço, oração tão singela e cara às pessoas humildes de coração. Nada está perdido!  É uma pena que muitas famílias estão vacilando na “arte” de ensinar as crianças a cultivarem a relação vital com o Divino como também introduzi-las na vida eclesial a partir do próprio exemplo. Para Comenius (+ 1670), “as crianças são as ‘plantazinhas do céu’, ‘do Paraíso’, ‘de Deus’. Compara-as a ‘novas arvorezinhas’, a quem se deve tratar com muito cuidado, para que cresçam ‘belas e fortes’, e seja possível ‘renovar o pomar’” (Sandra M. Corazza). E como precisamos de renovar o pomar de Deus, ou seja, a Igreja!

 

Comente